InfoSbor.com Pagina inicial → Floresta e cobertura serão essenciais para apoiar os polinizadores no País de Gales

Floresta e cobertura serão essenciais para apoiar os polinizadores no País de Gales

(Atenção! Este texto foi traduzido por um tradutor inexperiente.
Erros são possíveis.
A fonte de informação está aqui: britishecologicalsociety.org)

Comunicado de imprensa UKCEH.

O maior estudo de polinizadores do País de Gales descobriu que o reflorestamento e a proteção podem desempenhar um papel crítico na reversão do declínio de insetos que são essenciais para a produtividade das culturas e da vida selvagem. Os resultados são publicados no Journal of Applied Ecology.


Ringlet.
Autor: Jim Asher

Até agora, há poucos dados científicos surpreendentemente sobre polinizadores no País de Gales em comparação com o resto do Reino Unido. No entanto, um grande novo levantamento de centenas de locais diferentes identificou os tipos de habitat nos quais abelhas polinizadoras, hoverflies e borboletas são mais abundantes.

O estudo em grande escala foi realizado pelo Centro de Ecologia e Hidrologia do Reino Unido (UKCEH) e pela Conservação de Borboletas do País de Gales em parceria com o governo do País de Gales e mais de 1.000 proprietários de terras em todo o país. As descobertas mostram que florestas e coberturas bem administradas podem desempenhar um papel fundamental nos esquemas de incentivos para o uso da terra, juntamente com outras ações, como restauração de prados de flores silvestres e agricultura orgânica de alta floração.

Os pesquisadores que pesquisaram 300 quadrados de terra no País de Gales, medindo 1 km por 1 km, encontraram duas vezes mais insetos em florestas decíduas do que em pastagens cultivadas intensivamente. Eles também sugeriram que, sem sebes, o número de polinizadores em terras agrícolas poderia cair para 21%.

* A importância das florestas para apoiar polinizadores não é amplamente reconhecida *

Isso ocorre porque sebes e florestas de folha larga, que incluem árvores como carvalho, bordo e arbustos floridos, fornecem um habitat diverso para os polinizadores. Muitas espécies de plantas lenhosas servem de alimento para larvas, bem como pólen e néctar para insetos adultos. As sebes e bosques também fornecem ninhos intocados e esconderijos para muitas espécies.

As florestas representam atualmente apenas 15 por cento da cobertura terrestre do País de Gales, enquanto cerca de três quartos são pastagens, muitas das quais têm pouco suporte para a biodiversidade, visto que são cultivadas de forma intensiva. No entanto, o governo do País de Gales planeja plantar 180.000 hectares de novas florestas até 2050 como parte de seu plano Net Zero Wales.

O Dr. Jamie Alison do UKCEH, que liderou um novo estudo sobre polinizadores no País de Gales, disse: “As áreas florestadas com planejamento adequado são essenciais para combater as mudanças climáticas, capturando e armazenando grandes quantidades de carbono. No entanto, também tem muitos outros benefícios, incluindo para a biodiversidade de insetos.

"O valor das terras florestais no apoio aos polinizadores não é amplamente reconhecido, mas acreditamos que pode ser especialmente importante em países como o País de Gales, que são dominados por pastagens intensamente cultivadas com poucas espécies com flores que sustentam esses insetos."


Branco com veios verdes.
Autor: Peter Eeles

No entanto, o Dr. Alison apontou que é importante equilibrar cuidadosamente os diferentes habitats na paisagem para fornecer recursos adicionais que apoiem a diversidade da vida selvagem.

Ele diz: “A decisão não começa nem termina na floresta. Prados de flores silvestres, prados menos intensos e plantações de flores também desempenham um papel no suporte de insetos, enquanto o tipo de cobertura de árvore é crítico. Por exemplo, as plantações de árvores não beneficiam os polinizadores que prosperam nas periferias e nos ocos das florestas naturais com uma variedade de espécies de plantas com flores ”.

Um estudo publicado no Journal of Applied Ecology descobriu que habitats com mais flores suportam mais das 50 espécies de polinizadores incluídas no estudo. No entanto, as abelhas, que são coletoras altamente eficientes, tendem a dominar outras espécies em áreas com maior cobertura de flores.

A atenção do público está voltada principalmente para as abelhas manejadas, que são criadas por seu valor econômico. “Embora as abelhas sejam polinizadores eficazes, as abelhas melíferas são apenas uma espécie”, diz o Dr. Alison. “A principal conclusão de nosso estudo é que diferentes abordagens são necessárias para ajudar os polinizadores selvagens, incluindo outras espécies de abelhas, hoverflies, borboletas e mariposas, com as quais os humanos não conseguem lidar.”

Cerca de um terço da produção mundial de alimentos depende de polinizadores, principalmente insetos, que são essenciais para a manutenção de populações de outros animais e também de plantas, mas muitas dessas espécies de insetos estão diminuindo no Reino Unido e em todo o mundo. Os autores do estudo afirmam que, para reverter com sucesso o declínio global dos polinizadores nas futuras políticas e sistemas de subsídios agrícolas, é necessário considerar a criação de matas e sebes em áreas que atualmente apresentam baixa cobertura vegetal.

Os pesquisadores agradeceram ao grande número de agricultores e agrimensores que deram permissão para realizar pesquisas em suas terras.

O Dr. George Thordoff, da Butterfly Conservation, que coordenou as pesquisas com polinizadores, disse: “Este enorme esforço colaborativo para pesquisar as áreas rurais do País de Gales nos deu uma compreensão muito melhor da saúde das populações de polinizadores e como ela se relaciona com diferentes habitats e cobertura vegetal, e o comprimento das sebes na paisagem circundante. "


Fonte de informação: britishecologicalsociety.org (17 de novembro de 2021)
Autor fonte: BES Press Service
Direção da tradução: Inglês > Português
Qualidade da tradução: pobre (estou aprendendo a traduzir textos)
Data de publicação da tradução: novembro de 2021



© Copyright
AntonInfo.com | InfoSbor.com